Ana Rosa Kirshbaum

Desde 2005 é residente do Lar Mauricio Seligman. Hoje aos 77 anos sente-se acolhida e animada principalmente com as atividades que a insituição oferece. Desde a morte do seus pais e do marido, começou a se sentir sozinha. "a melhor solução foi vir para o Lar", comenta a residente.